A família de Deus na RMVale, e além

ministérios

A importância da união do grupo evangelístico

As seguintes ideias de Allen Dutton Sr., foram anotadas, para fins de treinamento de obreiros nos grupos familiares, por Álvaro Pestana (com comentários dele entre colchetes?), sem indicação de fonte, nos anos 90, e revisadas por Randal Matheny em 2020, com acréscimos de textos bíblicos.

  1. A união é muito importante. Se os cristãos não estão em perfeita união uns com os outros, o resultado do estudo será negativo. [Um ambiente feliz, de alegria, de festa é melhor do que uma sala tensa e com divisões invisíveis.] Jesus disse: “Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros” João 13.35.
  2. Faça força para estar em união com todos no grupo, envolvendo-os em outras atividades durante a semana para se conhecerem melhor. [O grupo deve ter vida própria fora da reunião.] “Ao contrário, encorajem-se uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama ‘hoje’, de modo que nenhum de vocês seja endurecido pelo engano do pecado” Hebreus 3.13.
  3. Cada cristão, num grupo, tem que trabalhar muito, esforçando-se ao máximo na preparação para cada estudo. [O preparo não é somente da lição, mas de convidar visitas, conversar com elas, lembrar os nomes daqueles que já visitaram, chamar de novo aqueles que já participaram.] Paulo elogiou os tessalonicenses: “Lembramos continuamente, diante de nosso Deus e Pai, o que vocês têm demonstrado: o trabalho que resulta da fé, o esforço motivado pelo amor e a perseverança proveniente da esperança em nosso Senhor Jesus Cristo” 1 Tessalonicenses 1.3.
  4. Os cristãos devem orar, uns em favor dos outros, todos os dias. [Isto é sinal de unidade e amor.] Jesus orou pelos outros, como Pedro: “Mas eu orei por você, para que a sua fé não desfaleça” Lucas 22.32a.
  5. Os cristãos precisam se comunicar uns com os outros sobre os visitantes que estão levando aos estudos, para que todos possam estar preparados sobre a conversação. [Não é fofoca ou indiscrição, mas esta conversa ajuda os outros a saber acolher bem aos novos convidados.] Que o visitante tenha esta reação: “Assim, ele se prostrará, rosto em terra, e adorará a Deus, exclamando: ‘Deus realmente está entre vocês!’” 1 Coríntios 14.25b.
  6. Os cristãos precisam se comunicar com o professor dos estudos para que ele possa preparar melhor os estudos, que vão ao encontro das necessidades dos não cristãos. [Assim, o professor poderá falar de interesses, necessidades, dúvidas suas e dos visitantes.] Paulo pregou exatamente o que Félix precisava ouvir: “Quando Paulo se pôs a discorrer acerca da justiça, do domínio próprio e do juízo vindouro, Félix teve medo” Atos 24.25a.

Um excelente recurso, bem prático, é o livro do irmão Allen Dutton: Evangelismo: amor em ação. Ver também estes:

  • BOST, Bryan (2007) De casa em casa. São Paulo: Arte Editorial.
  • GRUPO DE SALVOS EM CRISTO. (s.d.) Manual evangelismo. Salvador BA.
  • MATHENY, Randal Matheny (2009) “Batismo no evangelho“. alcanceweb.com.
  • MATHENY, Randal (no prelo) O conhecimento do evangelho. São José dos Campos SP: Projeto Alcance.
  • MATHENY, Randal (2020) Na beira da decisão. São José dos Campos SP: Projeto Alcance.
  • PEPPER, Clayton (2011) “5 princípios de crescimento da igreja“. irmaos.org.

Deixe uma resposta