A família de Deus na RMVale, e além

Bíblia

Textos difíceis na carta de Judas

Por Robert L. Helsten

Além dos anjos que pecaram, assunto tratado em 2 Pedro, há um problema óbvio em Judas: ele cita dois Apócrifos ou, mais precisamente, livros pseudo-epígrafes.

O relato de Judas sobre a troca entre o arcanjo Miguel e o diabo, v. 9, é aparentemente tirado de um documento conhecido como a Assunção de Moisés, escrito na primeira metade do primeiro século d.C. Existem fragmentos deste escrito, mas eles não incluem este incidente.

Entretanto, Orígenes, um escritor da igreja por volta de 200 d.C., disse que Judas estava se referindo a esta obra. Parece que o diabo alegou que o corpo de Moisés pertencia a ele por Moisés ser um assassino, tendo matado um superintendente egípcio. Embora Miguel fosse um arcanjo e pudesse ter repreendido Satanás com uma réplica afiada, ele respondeu suavemente: “O Senhor te repreenda”. Os hereges impertinentes não são tão temperantes em seu discurso.

Nos versículos 14 e 15, Judas também cita o Livro de Enoque, 1.9, provavelmente compilado durante o primeiro século a.C. Alguns estudiosos acreditam que Judas não faz uma citação deste livro, mas que vem de uma tradição oral confiável da qual tanto Judas como o autor anônimo do Livro de Enoque extraíram. Este livro explicava que os anjos que pecaram eram os “filhos de Deus” em Gn 6.14.

A citação de outra obra por um escritor do NT não implica necessariamente em inspiração para essa obra. Paulo, por exemplo, citou os poetas pagãos Arato, At 17.28, e Epimênides, At 17.28; Tt 1.12. Ele os citou porque eles disseram exatamente o que ele queria dizer.

De maneira semelhante, as citações de Judas reforçam as próprias verdades que ele está expressando.

Tirado do livro: New Testament Survey, Don Shackleford, ed. (Resource Publications, 1987): 454-55.

1 Comment

  1. Aida

    Interessante. Obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta