A família de Deus na RMVale, e além

Estudos bíblicos

Tabita: Deus se manifesta na vida de todos os discípulos

Litografia de Jafa (Jope) em 1843

Nota: O seguinte artigo foi escrito por convite dos editores do informativo: “Amo Jesus”, das congregações de Guarulhos. Os pontos foram reforçados e desenvolvidos além do original, de modo que esta versão é o dobro desse.

O perigo de focar personagens bíblicas é cair no moralismo, pensando apenas em termos do que se deve fazer ou evitar. Este tipo de abordagem não tem nada de ensino bíblico. Os pagãos também criam seus próprios sistemas de moralidade. Na antiguidade era comum divulgar listas de virtudes e vícios. Se usarmos os exemplos bíblicos só para tirar lições morais, recomendando atitudes positivas e condenando atitudes negativas, nosso ensino não corresponderá à mensagem da graça libertadora e transformadora de Deus. Escrevi sobre isso na Introdução do livro: Histórias do projeto eterno (ver clicando aqui).

A HISTÓRIA DE TABITA

Tabita era uma seguidora de Cristo exemplar, At 9.36-43. Tabita é um nome aramaico, então ela era uma judia. Era bem conhecida no meio grego, evidentemente, então seu nome, que significa “gazela”, foi traduzido para o grego: Dorcas, pois a cidade portuária tinha população de maioria grega. Possivelmente, suas boas obras ganharam para ela boa reputação entre judeus e gentios. Presume-se que tinha se convertido com a chegada de Filipe à cidade, Atos 8.40, por onde ele teria passado entre Azoto e Cesareia, depois da conversão do eunuco.

O que, além do grande exemplo da irmã Tabita, podemos aprender da sua história?

É preciso ler o contexto da história sobre Tabita, especialmente a narrativa anterior, sobre Eneias. As duas histórias pertencem juntas. Elas têm vocabulário e construções gramaticais em comum. Por exemplo, as duas histórias começam e terminam com a frase: “E aconteceu que (…)” 9.32, 43 (ver versão Mato Soares). Os dois são identificados como cristãos: Eneias é um dos “santos”; Tabita é “uma discípula”. Deve ser por causa dessas correspondências que a NVI, junto com grande número de versões bíblicas, coloca as duas histórias dentro da mesma divisão e sob o mesmo subtítulo.

Não podemos nos esquecer também da história a seguir, sobre Cornélio. É instrutivo observar que, na história de Tabita, “quando os discípulos ouviram falar que Pedro estava em Lida, mandaram-lhe dois homens dizer-lhe: ‘Não se demore em vir até nós'” At 9.38. Cornélio também mandou dois dos seus servos para buscar Pedro, para ouvir o evangelho, At 10.7-8. As duas comitivas de dois homens servem para ressaltar a importância e a urgência da sua missão. (Ver também At 11.30.)

1. PODER DE DEUS

Uma semelhança entre as duas histórias de Eneias e Tabita é como Lucas aponta ao poder divino como a causa da cura e da ressurreição. A Eneias Pedro diz: “Jesus Cristo vai curá-lo!” 9.34. Antes de falar para Tabita, Pedro “ajoelhou-se e orou” 9.40. Deus estava presente nestes momentos para demonstrar o seu poder. A ressurreição de Tabita nos remete à ressurreição da filha de Jairo por parte de Jesus, Mc 5.35-43, pois entre as duas há pontos em comum, até as palavras faladas para as duas por Jesus e por Pedro. Na ação de Pedro, estamos lembrados da ação de Cristo.

Hoje ninguém levanta outro da morte. A era dos milagres já passou, cf. At 8.17-18. Sem os milagres do primeiro século, como é que o poder de Deus fica evidente no nosso meio hoje? Oferecemos as seguintes sugestões:

  1. Na alegria da nossa salvação eterna, que nem as piores circunstâncias poderão nos tirar;
  2. Na transformação do nosso caráter ao produzir em nós o fruto do Espírito;
  3. Na nossa dependência de Cristo para cumprir o nosso trabalho.

Convém nos examinar, portanto, quanto a manifestação do poder divino na nossa vida. Seu poder se manifesta em mim? Mostro a presença poderosa do Espírito Santo pelas atitudes de um discípulo? Esse poder resulta na conversão de pessoas?

2. AMOR DE DEUS

Deus amou Tabita, possivelmente uma viúva, as outras viúvas em Jope e as pessoas que viriam a obedecer a Boa Nova. O amor dele ficou evidente na vida dela, para com as viúvas da congregação. Pela reação das viúvas que rodearam Pedro, choravam e lhe mostravam os vestidos e outras roupas que Dorcas tinha feito, At 9.39, é possível enxergar que essa irmã costureira fez muitas boas obras e as fez com toda boa vontade e de um coração cheio de amor. As viúvas entenderam que as roupas não somente supriram uma necessidade delas, mas demostrava quanto Tabita as amava. Ela não as tinha feito por fazer ou apenas por obrigação.

O amor fraternal de Tabita, demonstrado nas suas boas obras na congregação em Jope, leva no final à busca de Pedro e a ressurreição dela. Houve um resultado maravilhoso: “muitos creram no Senhor” 9.42. Lucas assim nos leva da benvolência fraternal ao evangelismo dos de fora. A cura de Eneias, feita em nome de Jesus e por amor aos santos, também leva muita gente a se converter ao Senhor, At 9.35. Mesmo na hora de registrar o bem físico, Lucas nos dirige a atenção à missão espiritual.

Foi isso que Jesus nos disse: “Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros” Jo 13.35. Sim, houve demonstração de poder e proclamação da palavra, mas tudo começou com o amor fraternal, para o qual somos purificados, 1Pe 1.22. Vamos começar assim também?

3. MISSÃO DE DEUS

O poder e o amor divinos estão agindo nesse momento da ressurreição de Tabita, mas ficará evidente mais tarde também a providência de Deus. De Jerusalém Pedro sai para visitar os santos em Lida. Jope é um pulo de Lida. Entre Jope e Cesareia, onde Cornélio mora, são uns 48 km. A conversão de Cornélio pela pregação de Pedro é um dos maiores eventos no livro de Atos, 11.15-18. Deus estava dirigindo os passos de Pedro para que ele ficasse perto de Cesareia, para que no devido tempo ele pudesse anunciar a Boa Nova de Cristo ao primeiro gentio.

Como já vimos acima, não somente em Cesareia que a missão de Deus prossegue, mas em cada parada do apóstolo Pedro. Somente com a pregação em Cesareia, porém, é que esta missão realmente deslancha entre os gentios. Alguns veem que a hospedagem de Pedro na casa de um curtidor de couro, homem ceremonialmente impuro em função do seu ofício, foi também momento de preparo para o apóstolo entrar na casa de um gentio e proclamar à sua família a salvação de Cristo.

Tudo isso nos indica que Deus promove sua missão mesmo sem a nossa percepção. Ele coloca muitas vezes na nossa frente as oportunidades, as quais têm sido cuidadosamente preparadas ao longo do tempo. Para Deus não há coincidência, mas sim abrangência do seu propósito.

APRENDENDO COM TABITA

Há grandes lições a serem colhidas da história de Tabita. Quando fazemos o que podemos dentro do Reino de Deus, ele agirá para que nossos esforços se multipliquem. Seu poder ficará evidente, seu amor tocará cada vez mais vidas e sua missão será cumprida para alcançar cada vez mais almas para a vida eterna.


OBRAS CONSULTADAS

DEAVER, Mac
2015 I will pour forth of my Spirit: A brief commentary on Acts.Biblical Notes Publications.
FERGUSON, Everett
1986 Acts of Apostles: The message of the New Testament. Vol. 1. ACU Press.
LONGENECKER, Richard N.
1981 “The Acts of the Apostles”, em F.E. Gaebelein, ed., Expositor’s Bible commentary, vol. 9, págs. 207-573. Zondervan.
MATHENY, Randal
2021 Histórias do projeto eterno. Projeto Alcance.
PARSONS, Mikeal C.
2008 Acts. Paideia commentaries on the NT. Baker Academic. Págs. 136-141.

2 Comments

  1. Valdir Silva

    Muito bom, Randal. Também costumo publicar posteriormente meus artigos com acréscimos não permitidos em razão do espaço limitado do boletim. Gostei da abordagem sobre a personagem.

Deixe uma resposta