A família de Deus na RMVale, e além

vida em Cristo

Retornando à família de Deus

Estrada com seta de retorno

Parte da minha oração a Deus hoje é este pedido:

Recupere seus filhos desviados e restaure-os à sua família.

Alguém me disse uma vez que quando um cristão abandona o Caminho, ele deixa de ser filho de Deus. Grande engano!

Um cristão pode perder a sua herança (a salvação presente e eterna), mas ele nunca deixa de ser filho de Deus. Ele pode negar a fé, cair da graça, deixar de manifestar sua filiação e não mais ser contado entre os fiéis, mas continua sendo filho.

Prova disso é o meio pelo qual ele retorna a Deus: Não há necessidade de ele nascer de novo na imersão na água (ver João 3.3, 5), mas sim arrepender-se e confessar seu pecado.

Jesus contou a parábola do filho pródigo, Lucas 15.11-32. O filho, enquanto na perdição, não deixou de ser filho do pai. A parábola ressalta a possibilidade de retornar a Deus e, especialmente, a grande alegria no céu quando há arrependimento daquele que deixou a casa do Senhor.

Como voltar para Deus? Como um filho de Deus pode ser restaurado à presença divina e à graça salvadora?

Embora sua aplicação fosse errada, as palavras de Elifaz a Jó caem como uma luva:

Sujeite-se a Deus, e terá paz;
então as coisas lhe irão bem.
Ouça as instruções de Deus
e guarde-as no coração.
Se voltar para o Todo-poderoso, será restaurado;
portanto, coloque sua vida em ordem.
Jó 22.21-23 NVT

Mais especificamente, o que Pedro disse a Simão aponta o caminho:

(…) o seu coração não é reto diante de Deus. Arrependa-se dessa maldade e ore ao Senhor. Talvez ele lhe perdoe tal pensamento do seu coração, pois vejo que você está cheio de amargura e preso pelo pecado” Atos 8.21-23 NVI.

O arrependimento é uma decisão de abandonar atitudes pecaminosas e voltar-se para Deus. Em seguida, o irmão deveria orar ao Senhor, confessando seu pecado, pedindo perdão das suas transgressões e suplicando por força para voltar a ser o que era: um filho obediente e um participante ativo dentro da família da fé.

Estes princípios sempre têm se aplicado ao nosso retorno a Deus. Embora a manifestação da restauração fosse diferente nos dias de Moisés, envolvendo o retorno do povo de Israel à sua terra, quem não pode ouvir o Senhor falando para nós hoje também?

(…) quando vocês e os seus filhos voltarem para o Senhor, o seu Deus, e lhe obedecerem de todo o coração e de toda a alma, de acordo com tudo o que hoje lhes ordeno, então o Senhor, o seu Deus, lhes trará restauração (…), Deuteronômio 30.2b-3a.

Talvez na presente crise alguém esteja considerando sua situação espiritual perante Deus. A auto-análise é apropriada a todo momento, como quando o apóstolo Paulo incentivou os coríntios.

Examinem-se para ver se vocês estão na fé; provem-se a si mesmos. Não percebem que Cristo Jesus está em vocês? A não ser que tenham sido reprovados! 2 Coríntios 13.5.

Os cristãos em Corinto ainda andavam no Caminho, mas precisavam acertar muitas coisas. Que possamos olhar, cada um, para a própria vida e para o coração para ver se estamos na fé.

Neste processo, terá a ajuda dos irmãos em Cristo, Gálatas 6.1, e poderá contar com suas orações, Tiago 5.16, por que todos sabem “que quem trouxer o pecador de volta de seu desvio o salvará da morte e trará perdão para muitos pecados” v. 20.

Deus perdoa o arrependido, Deus fortalece quem pede ajuda, Deus abençoa aquele que resolve voltar a andar no Caminho de Cristo.

A porta de volta está sempre aberta e Deus Pai busca a nossa restauração.

Deixe uma resposta