O salmista reconhece Deus como quem dá vida pela sua bondade, e como quem oferece a oportunidade da obediência, 17. Ele vê na obediência um bom resumo da vida com Deus.

Do ser humano é escondida às vezes a maravilha da lei de Deus, 18. Ele deixa de enxergar como Deus é bom.

Quem é peregrino ou estrangeiro não tem os direitos e o acesso do cidadão, mas o peregrino que tem Deus tem acesso aos seus mandamentos, 19.

Ao longo da vida, não diminui no coração do justo o desejo pelas ordenanças de Deus, pois estas sempre trazem o que é preciso, 20.

Pela primeira vez, o salmista menciona quem lhe faz oposição, 21-24. A perseguição faz parte proeminente no salmo. O justo tem de lidar com os injustos.

A palavra de Deus funciona como conselheiro ao justo, melhor do que qualquer conselho de um soberano na terra, 23-24.


Reflexão

Como é sinal da bondade de Deus o fato de ele permitir que obedeçamos à sua palavra?

De que maneira você sente, como cristão, a sua condição de ser peregrino no mundo?

O que os decretos de Deus aconselham você a fazer na sua situação atual?

Orar

Continue a mostrar sua bondade para comigo, Pai, para que eu viva e obedeça à tua palavra.

Que eu possa enxergar com clareza como sua palavra é maravilhosa, desejável e saudável.

Boa parte do mundo é fechado para mim, mas faça com que eu consiga observar os teus mandamentos.

Que a minha obediência à sua vontade leve os outros a respeitar a fé e a buscar a sua presença.