Terreno para a igrejaDos esforços nos anos 80 em Taubaté pelos irmãos, restou um terreno. Há toda uma história de cuidados e negligência. Um dos principais irmãos que contribuiu para a compra do terreno nos incentivou a fazer proposta ao presbitério da Nove de Julho em São Paulo, em cujo nome está o terreno, para que fosse usado para a igreja em Taubaté.

Fizemos a proposta e aguardamos a prometida reposta dentro de um mês. Depois de um ano e meio sem nenhum posicionamento, comunicamos que não poderíamos assumir o que seriam agora os impostos atrasados e outros encargos que viriam por causa do atraso na decisão.

Durante o EMCRIS, ouvimos que o presbitério tinha cedido o terreno à congregação em Embu Guaçu, que venderá e usará em projeto de amplicação das suas instalações.

Começamos o trabalho em Taubaté sem esperar o uso desse terreno, pois nossos esforços estavam, e ainda estão, focados nas casas.

Ficamos contentes que finalmente será usado para o reino de Deus em algum lugar.