A família de Deus na RMVale, e além

Estudos bíblicos

O cálice da ceia

As palavras de Jesus ao estabelecer a observância da ceia do Senhor como memorial semanal para a sua igreja nos direcionam para o centro do evangelho e para a essência da nossa fé e mensagem.

Da mesma forma, depois da ceia, [Jesus] tomou o cálice, dizendo: “Este cálice é a nova aliança no meu sangue, derramado em favor de vocês. Lc 22.20 NVI.

  1. O cálice. Representa, por metonímia*, o conteúdo, o fruto da videira, que por sua vez representa o sangue de Cristo derramado na cruz. Alguns querem entender cálice literalmente, afirmando que a frase de Jesus aqui nos obriga a beber durante a ceia de um único recipiente, pois só fala de um. Mas se vamos entender literalmente, Jesus se referiu ao cálice que estava na sua mão: Este cálice. Seríamos portanto obrigados a tomar a ceia usando o cálice que ele segurava, uma óbvia impossibilidade.
  2. A nova aliança. Com a morte de Jesus, tudo mudou. Passou-se a primeira aliança, a de Moisés. Agora, Jesus abre o caminho para Deus com uma salvação definitiva. A nova aliança é a revelação máxima e última de Deus, Hb 1.1-4. Lucas escreve para gentios, talvez, especificamente, para gregos, e proclama que o Reino de Deus está aberto para todas as pessoas. A palavra vocês não é exclusivista, mas inclui, entre “todas as nações”, toda pessoa disposta a se converter a Cristo pelo “arrependimento” Lc 24.47.
  3. No meu sangue. No plano eterno de Deus já tinha sido estabelecido o meio da purificação: “De fato, segundo a Lei, quase todas as coisas são purificadas com sangue, e sem derramamento de sangue não há perdão” Hb 9.22. O sangue representa a vida, Gn 9.4. “Pois a vida da carne está no sangue, e eu o dei a vocês para fazerem propiciação por si mesmos no altar; é o sangue que faz propiciação pela vida” Lv 17.11. Por isso, em época nenhuma o povo de Deus comia sangue: “Mas não comam o sangue, porque o sangue é a vida, e vocês não poderão comer a vida com o sangue” Dt 12.23; ver At 15.20. O sangue de Jesus, portanto, dá vida ao perdoar pecados: “(…) o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado” 1Jo 1.7; Mt 26.28; Ef 1.7.
  4. Derramado. Jesus falava da sua morte que aconteceria em breve, quando seu lado seria perfurado pelo soldado romano, Jo 19.34. O termo carrega grande significado espiritual, visto especialmente em Rm 5.5: “E a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu”. Ver Cl 1.20; Ef 1.7-8; Tt 3.5-6.
  5. Em favor de vocês. Deus é bondoso e sempre quer nos abençoar. Jesus morreu para nos trazer o perdão dos pecados, a salvação, a vida eterna. No seu sacrifício ele tomou o nosso lugar, recebeu o nosso castigo, carregou a nossa culpa. Ele não morreu apenas como bom exemplo, a fim de nos inspirar a uma vida melhor. Não, ele deu a sua vida em nosso lugar. É difícil imaginar a dimensão do ato que ele fez por nós. Contudo, seu sacrifício, seu sangue, sua morte, devem inspirar em nós inigualável devoção e exclusiva dedicação ao seu Reino.

Por isso é tão importante comer a ceia todos os domingos. Ela  nos lembra destas verdades essenciais. Nela, temos comunhão com Cristo, com nossos irmãos e na grande tarefa de oferecer a todos a purificação dos pecados pelo seu sangue.


• Ver o exemplo dado no link acima que corresponde exatamente ao uso de Jesus: “Nomear o continente no lugar do conteúdo: comer um prato de comida (comida que estava no prato);”.

Deixe uma resposta