calendário cristão

O Novo Testamento serve como padrão da fé e prática dos cristãos. Jesus deu sua palavra aos apóstolos e profetas, os quais, por meio do Espírito Santo, falaram e escreveram por inspiração divina. Hoje, não temos eles presentes conosco para nos orientar, mas, como são o fundamento da igreja, temos seus escritos para nos guiar em todas as coisas com respeito à fé. » Jo 14.25; 16.13; 2Pe 1.21; Ef 2.20

A observação por parte da igreja de dias especiais foi um acréscimo posterior ao Novo Testamento. Jesus estabeleceu para a igreja a ceia do Senhor, que ela comia no primeiro dia da semana. Reunia-se para oração e fraternidade em outros dias, à sua conveniência. Mas além de sua agenda semanal, não há nenhuma provisão dentro das Escrituras para uma observação mensal ou anual de dias especiais. Como não devemos “ir além do que está escrito”, restringimo-nos aos mandamentos e práticas que encontramos na Bíblia. » Mt 26.26ss; 1Co 11.23ss; At 20.7; 1Co 4.6

Somente a tradição humana dá sustentação a outras práticas, sem a qual não haveria apoio para a observação de tais dias. Assim, a simplicidade da fé do Novo Testamento liberta os discípulos do Senhor de tais tradições e possibilita aos cristãos um serviço diário no reino de Deus e uma lembrança dominical da morte, sepultamento e ressurreição de Jesus. » Cl 2.16; Rm 12.1-2

“De maneira que, cada vez que vocês comem deste pão e bebem deste cálice, estão anunciando a morte do Senhor, até que ele venha”, 1Co 11.26.