Entre as pessoas e na mídia, fala-se constantemente no amor. Mas poucos sabem o verdadeiro amor, e menos gente ainda poderia descrever como o amor age. Com o amor verdadeiro, confunde os gostos (“amo muito tudo isso”) e a paixão romântica.

Pelo roteiro de leitura bíblica, hoje lemos 1 Coríntios 13. A meditação de Deus Conosco hoje trata um pouco do contexto do capítulo, que ocorre no meio de uma discussão sobre o uso dos dons na igreja de Cristo. A discussão vai afunilando para os pontos centrais:

  • Unidade do corpo (cap. 12); o amor (cap. 13); edificação (cap. 14);
  • Essencialidade do amor (1-3); atitudes do amor (4-7); superioridade do amor (8-13);
  • Os positivos do amor (4a); os negativos do amor (4b-6); os positivos do amor (7);
  • No meio dos nove elementos negativos do amor: “não busca os seus interesses“.

Abaixo, damos um pequeno esboço do capítulo:

  1. A ESSENCIALIDADE DO AMOR (1-3). Ter o amor como motivação faz toda a diferença. Separado do amor, as ações não atingem seu objetivo.
  2. AS ATITUDES DO AMOR (4-7). O amor não é estático, mas age a favor do próximo em atitudes positivas e negativas. Aqui está a ênfase do capítulo. Entre os elementos positivos, as negativas são estão em nove itens, e o elemento do meio é: “não busca os seus interesses”, justamente o problema coríntia.
  3. A SUPERIORIDADE DO AMOR (8-13). A superioridade do amor (acima do egoísmo e a competição) se vê pela sua permanência. Por isso deve colocar o amor em ação.

O gráfico aponto o elemento central:

Verdadeiro amor

Como a igreja coríntia precisava tanto dessa lição, também precisamos, em todos os momentos, lembrar que o amor age em prol do próximo. Que nós, da igreja dos santos, demos o exemplo desse amor focado não em nós mesmos, mas nos nossos irmãos.