Escrevemos há algum tempo o artigo: “O que significa: ‘igreja de Cristo’“. Hoje, queremos dar atenção a outra descrição sobre o povo de Deus: “igreja(s) de Deus”.

A frase acima ocorre no NT umas 11 vezes (na NVI), cinco das quais em 1 Coríntios.

A palavra “igreja” significa reunião, assembleia, congregação, ou povo reunido em torno de Jesus, este último em sentido figurativo e, geralmente, universal. É encontrada no NT muitas vezes no plural para se referir às comunidades individuais duma região ou cidade.

A igreja é de Deus porque pertence a ele, vive sob seus cuidados e age segundo suas orientações.

Não há dificuldade nenhuma em chamar a igreja de Cristo e também de Deus, pois eles são um. Somente quem usa tais como títulos sentiria alguma dificuldade.

Em lugar nenhum é a frase, ou outra semelhante, usada em sentido denominador, para distinguir uma igreja de outra. Hoje, usa-se nomes para denominações, prática estranha ao NT. Alguns desses nomes são tiradas de descrições bíblicas, mas com outro sentido.

Devemos evitar o uso de uma única descrição para referir às nossas congregações, tais como “igreja de Cristo” ou “igreja de Deus”, imitando assim as práticas das denominações. Pois assim acabamos nos tornando mais uma entre tantas que aceitam e promovem a divisão religiosa.

No trabalho no Urbanova, temos preferido usar frases como “família de Deus” e “corpo de Cristo”, pois o termo “igreja” tem sido deturpado no mundo religioso, a ponto que as pessoas já não entendem seu significado.

Termos que servem para traduzir melhor o sentido original são “congregação” e “comunidade”, pois a igreja do Senhor é sempre seu povo, 1Pe 1.9-10, sem rótulos, sem denominação, mas sempre andando na plenitude do Espírito e na obediência ao seu Senhor. Ela tem como bandeira pertencer exclusivamente ao Deus que a criou e que a sustenta na sua vida e trabalho.