Ontem, dia 10/abr, foi abençoado, estando nós com os irmãos em SJCampos e Taubaté. Após o estudo avançado no sábado, eu estava com pouco gás, mas os irmãos me animaram.

Em SJCampos, Jorge continuou o estudo de Efésios, adentrando no cap. 4, no trecho sobre a unidade, versos 1-6. Paulo pregou sobre a natureza do pecado, em vista de notícias recentes da tragédia no Rio. Fez uma aplicação boa sobre um assunto que está na conversa de todos nesses dias. Vagner fez seu bom trabalho como sempre na direção dos cânticos.

Foi minha vez dirigir a meditação sobre a ceia do Senhor e a oferta. Para a primeira, usei o texto de Efésios 1.7-8: “Nele temos a redenção por meio de seu sangue, o perdão dos pecados, de acordo com as riquezas da graça de Deus, a qual ele derramou sobre nós com toda a sabedoria e entendimento”. O trecho combinou com o estudo de Efésio e sobre o sermão a respeito do pecado.

Menciono o momento da ceia, já que é o motivo principal pela reunião dominical, conforme o mandamento de Jesus em Mateus 26 (entre outras passagens) e o exemplo da igreja em Atos 20.7: “No primeiro dia da semana reunimo-nos para partir o pão“.

Como de praxe, por estar unidos nos dois trabalhos, almoçamos com Jorge, Paula e Daniel.

Em Taubaté, na reunião às 16h, era minha vez no rodízio de pregação e, esperando vários visitantes, mudei o tópico do sermão. Sentindo inspirado pela aula da manhã, usei Efésios 4.4-6 como texto base.

Nesse trecho, há três pares e um centro. Veja o gráfico abaixo.

É fácil ver as correspondências entre A. e A’. Existe um só corpo — que é a igreja (Ef 1.22-23) — porque Deus é o Pai de todos os cristãos.

O par Espírito/batismo também é uma combinação natural, já que, no batismo, recebemos o Espírito Santo como dádiva de Deus para habitar em nós (ver, por exemplo, Atos 2.38), transformar-nos à imagem de Cristo e dar-nos poder para cumprir a nossa missão no mundo.

O par esperança/fé também é natural. Os dois não se referem a nosso exercício de esperar e ter fé, mas no sentido objetivo daquilo em que esperamos e da doutrina em que cremos.

No centro do trecho (marcado com a letra X), onde cai a ênfase da passagem, é o Senhor Jesus. A respeito dele, tive muito a dizer.

Estes itens são a base da nossa unidade em Cristo e servem como marcas da nossa identidade como igreja do Senhor.

Humberto dirigiu os cânticos, Jorge presidiu na mesa do Senhor e Ricardo nos orientou como fazer a nossa oferta a Deus.

Embora as visitas esperadas não aparecessem, recebemos nosso irmão Carlos Prazeres de Curitiba, que tinha participado no estudo avançado no sábado. Fizeram-nos visita também um cristão não fiel e seu filho, morando agora em Taubaté.

Após a reunião eu e Humberto conversamos com a dona da escolinha sobre outro espaço maior, já que a sala onde nos reunimos atualmente ficou pequena. Ela nos prometeu arrumar uma outra já para o próximo domingo.

No retorno para casa, paramos no distrito Eugênio de Melo, na divisa de SJCampos com Caçapava, para desejar ao Sr. Paulo os parabéns pelo seu 81º aniversário de nascimento e o encorajamos a obedecer a Deus e seguir Jesus enquanto ainda havia tempo. Toda sua família é muito importante para nós, pois muitos deles são cristãos. Sua esposa, D. Carmita, mandou-nos parte do bolo de aniversário, que provamos ser delicioso logo após chegarmos em casa.