Como na maioria das cartas de Paulo, Romanos se divide em duas partes principais, a do ensino e a da prática. Vamos chamá-las de doutrina (caps. 1-11) e dever (caps. 12-15).

A segunda parte tem várias características interessantes:

  1. Paulo faz uso liberal do imperativo, “não faça isso” (12.2), “faça isso” (15.2).
  2. Os deveres dependem da entrega total da vida como sacrifício (12.1-3).
  3. Os deveres são abrangentes, tocando nos relacionamentos entre cristãos, com o governo, nos assuntos sensíveis, na dedicação de recursos na missão.
  4. Os deveres são cumpridos como reflexo de gratidão pelas “misericórdias de Deus” (12.1), e não como tentativa de provar a própria bondade pelas obras de mérito.
  5. Os deveres abrangem tanto o corpo (12.1) como a mente (12.2).
  6. Os deveres fazem parte da “nova ordem mundial” que já está irrompendo (12.2), ordem esta que se realizará com a vinda de Cristo e a aproximação da nossa salvação (13.11-14).
  7. Os deveres não procuram realizar um melhoramento moral, mas demonstram a transformação total que o Espírito faz em Cristo.