Irmãos.org

A família de Deus na RMVale, e além

Evangelho

5 princípios de crescimento da igreja

ensinar Jesus

ensinar Jesuspor Clayton Pepper

Creio que a igreja em Jerusalém é o melhor exemplo de evangelismo no Novo Testamento. Ela era:

  1. A primeira congregação no Novo Testamento;
  2. Conduzida pelos homens treinados por Jesus. Deviam saber, sem dúvida, qual a tarefa da igreja;
  3. Composta de cristãos dedicados. O melhor do judaísmo tinha chegado a Jerusalém para adorar. A igreja era composta de convertidos que tinham sido dedicados ao judaísmo.

Vemos o início da igreja com umas 3.000 pessoas, batizando-as todos os dias e depois multidões se convertendo.

Gostaria de chamar à sua atenção cinco princípios de crescimento, a partir desta igreja.

  1. Sua meta foi a de levar o evangelho a todas as pessoas (Marcos 16.16);
  2. Ensinaram todos os dias (Atos 5.42; 20.31);
  3. Foram até todas as casas (Atos 5.42; 20.20);
  4. Tinha o conceito de todo cristão estar ensinando (Atos 8.4; 2 Timóteo 2.24; Hebreus 5.12);
  5. Usaram todos os meios (1 Coríntios 9.22).

Fracassou hoje o evangelismo no estilo ensinado no Novo Testamento, ou será que não tem sido experimentado na maioria dos lugares? O que tem sido o resultado onde foi experimentado? Talvez, o que temos chamado de campanhas por Cristo cheguem mais próximo de empregar os princípios do Novo Testamento para o crescimento da igreja do que qualquer coisa que conheço hoje.

1. Se eu voltar na minha memória, a 1959, quando comecei e dirigi o programa de evangelismo pessoal em Madison, lembro-me de 8 homens que ganharam 33 pessoas para Cristo em 8 meses. No próximo ano, acerca de 20 homens foram responsáveis por 88 batismos e restaurações (a maioria, batismos). No terceiro ano, 25 pessoas foram responsáveis por 102 batismos e restaurações.

Observei uma congregação de 500 pessoas na frequência, que não fazia o evangelismo pessoal como fazíamos, eles batizaram apenas 32 no período de um ano. Outra congregação de 400 batizou 15 no ano.

2. Acerca de dois anos atrás, ensinei e batizei um homem que tinha frequentado as reuniões da igreja com sua esposa por 18 anos. Segundo a esposa, ninguém tinha dado estudos bíblicos a ele na sua casa.

3. Ensinei meu cunhado de 69 anos, com câncer. Levei-o, após uma hora de estudo, ao prédio da igreja de Hartsville Pike, na cidade de Gallatin, onde ele foi batizado. Ele não tinha frequentado uma reunião da igreja desde a juventude, quando morava com os pais.

4. Trabalhei numa campanha na cidade de Providence, no Kentucky, em 1996. Uma congregação de 80 irmãos patrocinou a campanha evangelística. Em acerca de 10 dias, 45 pessoas foram batizadas. Várias pessoas experientes vieram de outros lugares para ensinar. Reuniões evangelísticas foram realizadas durante a campanha.

5. Um pregador verdadeiramente evangelístico começou a pregar uma vez numa igreja que existia durante anos. Convenceu os presbíteros a fazerem uma campanha de porta em porta. Trabalhei nessa campanha. Um presbítero me disse que não sabia o que era uma campanha assim. Batizaram 17 em uma semana, e no ano seguinte, 49.

Estamos seguindo os métodos evangelísticos do Novo Testamento ou nosso método é, em grande parte, um sistema do protestantismo?

A igreja do Século 20

  1. Em grande parte segue o conceito de ensino dos que chegam até nós;
  2. Ensina durante umas 4 horas ao longo de 7 dias (com poucas exceções);
  3. Ensina publicamente, na maioria das vezes, dum púlpito;
  4. Tem muitos pregadores que são pastores ao invés de evangelistas;
  5. Usa meios e recursos limitados para o evangelismo.

Para o evangelismo pessoal, o Projeto Alcance oferece “Conheça a Deus” e o curso por correspondência que muitos usam pessoalmente: “Jesus Cristo: o caminho simples”. Veja os impressos no site do Alcance.

6 Comments

  1. José Carlos Cândido.

    Caro irmão Randal, Paz seja em Cristo!, lamento ter que concordar com o irmão, infelizmente é verdade, vivemos dias difíceis, em meio ao mundo religioso que só faz crescer o repúdio contra o ensino verdadeiro, somado à pouca vontade de se voltar para Deus àqueles não religiósos, isso quando encontramos em nós mesmos uma certa dose de comodismo; assim, vemos o resultado de poucos sendo convertidos ao verdadeiro cristianismo. Continuamos em oração para que o Senhor reverta éssa incrivel realidade. Fique na paz, sempre em Cristo. José Carlos Cândido, escóla de teologia bíblica de Jundiaí – escotebil@ig.com.br

    • Obrigado, irmão José Carlos, pelo comentário. Sim, oramos para que esse quadro mude para que a igreja seja plenamente o que Deus quer de nós.

  2. Rubens Ferreira de Morais

    Temos muitos pregadores e nenhum evangelista.

    Estes exegetas ensinam sempre, do alto de um púlpito, o mais alto e o mais distante possível do pecador.

  3. GabrielSouza

    É necessário mudança,pois hoje aqueles que se dizem cristão muitos estão vivendo o Reino Dele e não o de DEUS,o mundo clama por salvação e está salvação está nas nossas mãos!

  4. De fato a igreja de Cristo precisa ser RESTAURADA,voltar aos princípios simples e prático do evangelho.Funcionou com eles sem dúvidas funcionará conosco.

  5. José Domingos

    Penso que estamos evangelizando apenas ” o quintal das nossas casas!” Se não sairmos a campo, as sementes “apodrecerão” sem que sejam semeadas,um grande desperdício! Fazemos reuniões e mais reuniões para. traçarmos estratégias de “pescaria”,mas NÃO VAMOS PESCAR!!!!

Deixe uma resposta

Theme by Anders Norén