Deus domina

V — “(…) o Deus Altíssimo domina sobre os reinos dos homens e coloca no poder a quem ele quer” Dn 5.21.

M — Nabucodonozor aprendeu no duro. Deus reina, inclusive sobre a política. Um crente chinês tem a perspectiva correta:

Nunca oramos contra nosso governo, nem pedimos Deus para amaldiçoar os governantes. Aprendemos que Deus está no controle das nossas vidas e do governo sob qual vivemos. Deus tem usado o governo da China para seus próprios propósitos, moldando e formando seus filhos como ele vê melhor. Ao invés de focar nossas orações contra algum sistema político, nós oramos para que, independente do que nos acontece, agrademos a Deus.

O — Deus Altíssimo, controlador do mundo, que possamos fazer a sua vontade nesta era presente, submissos à sua autoridade e alegres por servir o Deus que guia tudo para o fim.

Tempo de coceira

V — “Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; ao contrário, sentindo coceira nos ouvidos, juntarão mestres para si mesmos, segundo os seus próprios desejos” 2Tm 4.3.

M — Renunciemos os próprios desejos a fim de fazer a vontade de Deus. Anunciemos a verdade da Boa Nova. Insistamos no ensino correto. O tempo da coceira nos ouvidos chegou.

O — Deus da verdade, faça-nos pilares da verdade, pois esta nos liberta.

Palavra veio a nós

V — “Esta palavra do Senhor veio a mim” Ez 21.1.

M — Os autores bíblicos receberam revelações de Deus por meio de palavras. Essas palavras foram comunicadas às pessoas para informar-lhes o que Deus estava fazendo e o que ele esperava deles. Suas palavras se tornaram palavra a todas as pessoas em todos os tempos. Devemos, portanto, ler a Bíblia e fazer o que Deus quer de nós.

O — Obrigado, Pai, por nos dar a luz da sua palavra, para não andarmos nas trevas.

8 Nãos em Atos 4

O irmão Humberto compartilhou estes 8 negativos (bem positivos, por sinal) no estudo dominical, todos tirados de Atos 4. Pedimos a ele o texto para postar aqui, para a edificação de todos.

De José Humberto Cintra de Souza, Taubaté SP

#1. Não se surpreenda

v.1 e v.3 — Eles estavam no meio do sermão quando chegaram, de repente, pessoas com más intenções para atrapalhar o ensino sobre Jesus.

#2. Não desista

v. 5-7 e depois v.4 — A Igreja continuou a crescer, mesmo com toda a perseguição iniciada. No v.4 vemos que mesmo assim os irmãos aumentaram em quantidade. O foco é não ficar intimidado com o que parece grande e perigoso aos olhos humanos, pois quando se tem Jesus nada tem tanta autoridade nem poder, portanto, não desistamos!

#3. Não entre na conversa

v.7 — Aqui são os 3 pontos da pergunta maliciosa dos rabinos: “Com que poder”, para tentar acusação contra feitiçaria, “em nome de quem”, para acusar de que eles faziam aquilo por forças do mal, “vocês fizeram isso?”, para tentar intimidar os apóstolos a dizerem algo que pudesse incriminá-los, pois eles acusaram os apóstolos de de “isso”, sem especificação do crime que teriam cometido.

#4. Não pense em você

v.8-10 — Apesar de toda a pressão, Pedro não se intimidou e respondeu àqueles mestres de forma educada, simples e direta, falando a verdade, mesmo diante da possibilidade de o prejudicarem. Pedro se preocupou com a Verdade e o ensino sobre Jesus e não com sua própria segurança.

#5. Não espere uma situação justa

v.15 e 16 — Em vez de entenderem a guardarem no coração o que Pedro dizia, assim como em Atos 2:37, eles reagiram como aqueles que não receberão o perdão do Pai. Discutiram entre si sobre a verdade diante de seus olhos (v.16), porém tentavam arduamente uma maneira de impor um crime inexistente aos apóstolos.

#6. Não dê chance a Satanás

v.18 e v.21 — Os apóstolos não pararam mesmo diante de outra forma de coação por parte daquelas autoridades. Eles não saíram do caminho correto, da Verdade, da missão deles nem um pouco, por isso Satanás tentou usar outra forma de coação, agora um pouco mais agressiva. O desespero para retirar os cristãos do caminho é muito grande por parte de Satanás, portanto não podemos tirar nossos corações e mentes do Senhor nem um pouco para não darmos chance a ele.

#7. Não esqueça de onde vem sua força

v.23 e 24 — Aqui o foco é mostrar que, em vez de reagirem e partirem para briga ou clamarem por toda a Igreja já existente para tomar o Sinédrio numa guerra civil, etc, eles simplesmente voltaram para seus companheiros apóstolos e entregaram a situação para Jesus através de uma oração. O importante aqui é entender que devemos lutar contra o mundo dessa forma, nossa força vem do Senhor e não de nossa raiva nem de nossos músculos e muito menos de nossas armas.

#8. Não tire o foco das escrituras

v.11 e v.25-26 — Seja numa situação de muita pressão, seja numa situação de alívio, os apóstolos sempre usaram as escrituras para justificarem suas ações, para justificarem suas respostas. O importante é entender que devemos deixar Jesus responder às pessoas e faremos isso exatamente como os apóstolos fizeram, através do uso correto das escrituras para comprovar o que fazemos e para responder às perguntas do mundo. Eles não tiraram o foco da Bíblia e mantiveram-se ilesos contra quaisquer acusações e obtiveram uma resposta grandiosa de Deus no v.31.

Assuma o sofrimento

V — “Como fiel soldado de Cristo Jesus, tome parte no meu sofrimento” 2Tm 2.3.

M — O sofrimento de Paulo pertence ao reino de Cristo. Deste sofrimento todos participam. “Esteja pronto para se privar dos confortos da vida” (BBE) por amor ao serviço de Deus.

O — Deus dos exércitos, dê-nos coragem, faça-nos rijos, para a batalha espiritual.

Chegou até vocês

V — “Vocês têm essa fé e esse amor por causa da esperança de receber todas as coisas que estão reservadas para vocês no céu. Vocês ouviram falar a respeito dessa esperança pela primeira vez por meio da mensagem verdadeira que chegou até vocês, isto é, as Boas Novas” Cl 1.5 VFL.

M — Tudo começa pela palavra da verdade. Conserve-a para nutrir sua esperança, fé e amor em Cristo.

O — Graças a Deus por sua bondade ao fazer chegar-nos a Boa Nova! Ajude-me a fazê-la chegar aos outros.

Propósito de lhe agradar

V — “Por isso, temos o propósito de lhe agradar, quer estejamos no corpo, quer o deixemos” 2Co 5.9.

M — Algumas versões têm: “nos esforçamos para agradá-lo”. A BPT: “o que nos interessa é agradar a Deus“. Pense hoje e sempre: “O que agrada a Deus aqui? O que ele deseja de mim? O que faço para deixá-lo contente comigo?”

O — Pai, o Filho lhe agradou, e também quero, em cada situação. Ajude-me a fazer isso sempre.

Essa regra

V —Paz e misericórdia estejam sobre todos os que andam conforme essa regra, e também sobre o Israel de Deus” Gl 6.16.

M — A regra é a da nova criação em Cristo, gloriando-se unicamente na sua cruz, vv. 14-15. O Israel de Deus é o verdadeiro povo dele, entre todas as nações, a “igreja de Deus” 1.16, os que foram batizados em Cristo, 3.27. Andemos em Cristo conforme a nossa nova natureza.

O — Deus criador, dê-nos a sua paz e misericórdia, pois saímos do mundo e abandonamos a realização humana, para sermos povo da sua aliança.

Busquem sempre

Na agenda de hoje escrevi:

V — “Recorram ao Senhor e ao seu poder; busquem sempre a sua presença” Sl 105.4.

M — Junto ao Senhor é o poder para vencer, para servir e para esperar até o fim.

O — Senhor Deus, obrigado por me acolher. Obrigado por me fortalecer. Obrigado por me utilizar.

Perguntas para leitura: 52 ações — buscar

  • Essas perguntas fazem parte da série: “52 ações do discípulo de Cristo”, no. 20, o verbo buscar.
  • Ver este link para maiores informações sobre a leitura do verbo buscar.
  1. Descreva o maior esforço que você já fez na vida para alcançar um objetivo.
    • Um esforço maior ainda deve ser a busca do reino de Deus: Mt 6.19-34.
  2. Um autor acredita que o trecho de Mt 6.19-34 é uma ampliação de Mt 5.9: “Bem-aventurados os humildes, pois eles receberão a terra por herança“. Como o trecho poderia servir assim, pelo seu conteúdo?
    • Onde você vê a humildade no trecho?
    • De que maneira a terra é herança aqui?
  3. Por que é proibido acumular tesouros aqui na terra? 19
  4. Como é possível acumular tesouros no céu? 20
  5. Em que sentido o coração segue o tesouro? 21
  6. Como os olhos servem como candeia para o corpo? 22
    • Do que Jesus está falando aqui? 22-23
    • Que luz é esta que vira trevas? 23
  7. Explique por que é impossível servir dois senhores. 24
  8. Quais as razões que Jesus dá para não se preocupar? 25-27
  9. Quais outras perguntas poderiam entrar aqui com as de Jesus? 31
  10. Qual o grande contraste entre o pagão e o filho de Deus? 32
  11. O que Jesus afirma sobre Deus nos versos 25-32? (Três afirmações)
  12. Do que consiste essa busca? 33
    • Como a ideia de buscar primeiro poderia ser um comentário sobre o verso 24?
    • A Versão Fácil de Ler traduz “justiça” aqui como “aquilo que Deus quer. Você acha uma boa tradução?
    • Que são “todas essas coisas”?
  13. Qual a relação entre a preocupação com o dia de amanhã e a busca do reino de Deus? 34
  14. Jesus disse: “Basta a cada dia o seu próprio mal”. Quer dizer que não devemos pensar sobre o dia de amanhã? 34
  15. Nosso verbo de hoje é buscar — devemos buscar o reino de Deus.
    • O importante não é a busca, mas conseguir o objetivo dela: o reino de Deus.
    • Essa busca é mais importante do que qualquer coisa na vida. Vale a pena desistir das outras buscas na vida para fazer esta.
    • Vamos refletir sobre essa pergunta: O que falta ainda na sua busca do reino de Deus?
    • O que é preciso eu fazer ainda para começar ou dar continuidade a essa busca?

 

Nem saudá-lo? Sério?

Na minha agenda de hoje:

V — “Se alguém chegar a vocês e não trouxer esse ensino, não o recebam em casa nem o saúdem” 2 João 10.

M — O negócio é sério! Doutrina é importante. No que acreditamos faz uma diferença. Radical? Duro? Sim! Porque se a verdade liberta, Jo 8.32, a mentira leva preso quem acreditar nela.

O — Pai, ajude-nos a preservar em nosso meio a verdade do evangelho—o Senhor Jesus que é o caminho, a verdade e a vida.